Ministros alinham parcerias para pesquisa e inovação na agricultura

Aldo Rebelo e Kátia Abreu abordaram parque tecnológico, mobilidade acadêmica e construção de uma aliança institucional para a inovação.

por Ascom do MCTI

Publicação: 18/08/2015 | 14:35

Última modificação: 18/08/2015 | 18:56

Kátia Abreu apresentou ao ministro Aldo a ideia de construir a Aliança para a Inovação Agropecuária, projeto em elaboração pela Embrapa.

Crédito: Ascom/MCTI

Os ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, reuniram-se, nesta terça-feira (18), para tratar de um parque tecnológico a ser instalado em Brasília, um programa de mobilidade acadêmica e a construção de uma aliança institucional para a inovação. Os três itens envolvem a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/Mapa), cujo presidente, Maurício Lopes, participou da audiência.

Kátia informou que a Embrapa será responsável pelo parque na Capital Federal, nomeado como Centro Internacional de Tecnologia em Agricultura Tropical. O MCTI iniciou discussões sobre o projeto em maio, quando o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, visitou Aldo. Segundo a ministra, o governo local deve ceder uma “área privilegiada” para concretizar a ideia.

Outro ponto de colaboração é o programa Laboratório Virtual da Embrapa no Exterior (Labex). “Nós gostaríamos de mandar muito mais cientistas para fazer pesquisa fora do País do que nós estamos mandando hoje”, disse Kátia, a respeito de possíveis editais com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI). Criado na década de 1990, o Labex busca assegurar a presença física da empresa pública brasileira pelo mundo, por meio do compartilhamento de espaço e infraestrutura laboratorial de instituições parceiras.

A ministra apresentou ao ministro a ideia de construir a Aliança para a Inovação Agropecuária, projeto em elaboração pela Embrapa. “Queremos trazer para esse arranjo todas as cabeças, toda a ciência do Brasil, para trabalharmos em rede, em conjunto, em prol do agronegócio”, explicou. “E a grande questão é justamente buscar recursos e financiamento para dar independência a esse sistema de pesquisa coordenado pela Embrapa.”

Mapa e MCTI acertaram a criação de um grupo de trabalho com Embrapa e Ministério da Educação (MEC), “que deverá entrar por conta dos institutos federais”, de acordo com Kátia. O colegiado terá a missão de discutir a Aliança para a Inovação Agropecuária, o Centro Internacional de Tecnologia em Agricultura Tropical e o envio de pesquisadores ao exterior, via Labex.

Pelo Mapa, também participaram da audiência a secretária executiva da Pasta, Emília Jaber, e o secretário do Produtor Rural e Cooperativismo, Caio Rocha. Acompanharam o titular do MCTI os secretários de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social, Eron Bezerra; e de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento, Jailson de Andrade; e o coordenador-geral de Serviços Tecnológicos, Jorge Mario Campagnolo.

Fonte: Ascom do MCTI

Deixe uma resposta